O que é ser um hiperpoliglota?

“Eles não são deste mundo. É impossível falar tantas línguas.”

Esse é o tipo de comentário que eu costumo ouvir de pessoas que me escutam falar sobre os termos “poliglotas” e “hiperpoliglotas”.

Para ser bem sincero, eu até compreendo esse olhar que muitos têm.

Raramente em países grandes como o Brasil ou Russia se vê alguém falando um idioma além do nativo.

Talvez isso aconteça, de modo geral, pelo fato de que as pessoas nesses lugares têm a percepção de que são independentes, visto que para cada relação de troca exista um outro indivíduo que o compreenda.

É como se as pessoas se colocassem dentro de uma bolha.

Isso é algo mais complexo de ocorrer em regiões como Suiça, Israel, Dinamarca, Espanha, França e Portugal.

Em Israel, por exemplo, há o russo, o hebraico moderno, o inglês e o árabe como idiomas bastante usados.

Um país cujo tamanho é menor do que o menor estado do Brasil – Sergipe – não suportaria fazer tal prática por muito tempo. Aqui não tem como agir com a visão de “F0d#-se o resto. Vamos nos isolar e viver.”

Posso estar muito errado, mas, até o momento, é o que eu acredito.

Quando algo foge da normalidade, isto é, em países de grande extensão como o Brasil, falar diversas línguas gera esse tipo de coisa, por poder se fazer toda a relação no mesmo território usando apenas a língua local .

Para não fugirmos da resposta, tenha em mente este conceito :

“Um hiperpoliglota é alguém que fala mais de seis línguas.”

Há até uma Associação Internacional de Hiperpoliglotas que você pode checar clicando aqui, caso tenha interesse.

“E quem fala entre 4 e 6 idiomas, Haniel?” Eles entram na categoria de poliglota.

Se você quiser saber mais sobre essa última categoria, clique aqui.

Bom, o significado tu já sabe, mas não veja isso como algo suficiente.

Nós, que atuamos no CPB – Clube Poliglota Brasil, produzimos conteúdo com o propósito de realmente te ajudar a aprender línguas.

Foi pensando nisso que criamos ambientes propícios à conversação e de modo GRATUITO. 0800.

Antes da pandemia, a maior parte dos encontros ocorriam nas praças de muitas cidades, mas agora estão acontecendo na internet. Seja por meio de grupos de telegram, discord, salas virtuas ou seja por grupos de whatsapp. Diversos encontros são organizados diariamente.

Na reunião de ontem, por exemplo, ouvi mais de trinta idiomas sendo falados.

Depois da mega reunião, um camarada de nome Danilo mandou algo como:

“Hoje foi a primeira vez que participei do encontrão promovido pelo CPB. Eu ainda não sei bem o francês, mas pude praticar francês com uma moça da Grécia, do Canadá, do Sudão, do Iraque e do Reino Unido. Gostaria de parabenizar os organizadores. Brasileiros e estrangeiros com o mesmo propósito: o de aprender línguas. Foi muito bom . Nossa, recomendo demais!”

Se você quiser ter a mesma oportunidade que ele teve, seja rápido e entre em contato conosco pelo instagram.

Para acessar o nosso instagram, clique aqui. Lá você será melhor informado.

Sobre o Autor

Victor Haniel
Victor Haniel

Opa. O meu nome é Haniel, tenho 22 anos, gosto de aprender idiomas e atuo na área do marketing e na área de tecnologia do Clube Poliglota Brasil. De modo resumido, é isso. Estou aqui para te ajudar!

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *