Poliglotas e seus idiomas pouco conhecidos: Italiano

Fala, gente boa.

Hoje nós daremos continuidade ao quadro “Poliglota e seus idiomas pouco
conhecidos”.

Se não sabe sobre o que estou falando, clique aqui e seja redirecionado ao post que deu início à série.

O nosso entrevistado de hoje é o Mardson . Ele falará a respeito do italiano.

Você pode me perguntar algo como “Haniel, você não falou que o foco era sobre idiomas importantes, mas pouco conhecidos? ”

Sim, mas eu acredito que ele pode se tornar um idioma menos relevante na hora da escolha, o que, por sua vez , pode torná-lo menos conhecido ou menos importante em pouco tempo.

Isso mesmo.

Muitas pessoas têm dito algo como “a Itália tem um grave problema. Só se vê gente idosa, ou seja, aposentados . Por outro lado, a parte mais jovem, massa que trabalha e movimenta a economia, está morando nos países vizinhos. Não dá certo o fato de o Estado ceder dinheiro e não captar. Além disso, há o coronavírus. Isso acabou de destruir o pouco que restava”.

Muitos brasileiros com direito à dupla cidadania, por exemplo, ao ouvir esse tipo de comentário, mudaram de plano.

Isso é global.

O meu propósito aqui é justamente o oposto. Eu quero te motivar a aprender sim essa magnífica língua e, também, se for o seu caso, seguir a tal país. Embora neste exato momento haja algum tipo de dificuldade por lá, isso vai passar e coisas boas irão acontecer.

Reforço: vá em frente em seus objetivos, pois valerá a pena.

Sem mais demora, vamos à nossa “entrevista” no formato pingu – pong.

Primeira pergunta : Qual foi o motivo de você terescolhido estudar o italiano?

Eu resolvi aprender o Italiano porque me parece uma língua muito bonita. E também porque pretendo estudar na Itália no futuro.

Segunda pergunta : Quais foram as principais dificuldades que você encontrou ao estudar esse idiomas?

Os falsos cognatos e os verbos.

Terceira pergunta: Qual aspecto cultural do país onde esses idiomas são falados você mais gostou ?

A música. Desde a ópera até o pop. Exemplo disso, gosto bastante de Rumore, de Raffaella Carrà; Con te Partirò; Nel blu dipinto di blu ou Volare, de Domenico Modugno.

Quarta pergunta : Como você recomenda estudar esse idioma?

Recomendo ver/ouvir vídeos/podcast diários para compreender melhor a cadência da Língua; aprender a pronúncia e adquirir vocabulário. Fazer exercícios escritos. Um podcast que eu gosto bastante é o Impara l’Italiano con Italiano Automatico. Um material interessante é o Dire Fare Partire da USP.

Quinta pergunta : Quanto tempo você acredita que dura para atingir um nível conversacional nesse idioma, já considerando as dificuldades peculiares ?

Dois anos para o falante do português.

Camarada, valeu por ter contribuído conosco. Muito sucesso!

Se você ficou motivado a aprender ou continuar o aprendizado dessa língua, o meu objetivo foi concluído.

Se tiver interesse em conhecer o entrevistado ou o trabalho dele, acesse as redes sociais logo abaixo:

Instagram do Mardson: @cronicame

Observações :

Revisão por Agatha.

Facebook da Agatha:Agatha Franco

Instagram da Agatha: franco_agatha

Sobre o Autor

Victor Haniel
Victor Haniel

Opa. O meu nome é Haniel, tenho 22 anos, gosto de aprender idiomas e atuo na área do marketing e na área de tecnologia do Clube Poliglota Brasil. De modo resumido, é isso. Estou aqui para te ajudar!

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.